segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O Megalitismo

As comunidades agropastoris acreditavam que a Terra era a mãe que lhes permitia obter o que precisavam. Adoravam assim a Natureza e os astros. Por isso construíram monumentos de culto à fertilidade dos terrenos e das pastagens para os animais. Cultivavam também o culto dos mortos, pois acreditavam numa vida após a morte. A estas duas manifestações de arte damos o nome de megalitismo. 

Estas comunidades construíam outro tipo de monumentos a que chamamos as antas ou dólmenes. As antas tinham como objetivo depositar os mortos e prestar-lhes homenagem. Junto ao corpo juntavam objetos do quotidiano. As antas eram conjuntos de esteios de pedra colocados verticalmente formando um espaço circular, a que se dá o nome de câmara. Em cima, o espaço era coberto com uma laje de grandes dimensões. A entrada da anta tinha como uma porta em pedra sob a forma de uma laje. 

Junto das antas apareceram objetos diversos, como machados, pontas de seta, botões de osso, placas ornamentadas, contas de colar de osso ou âmbar. Nos esteios verticais em algumas estações arqueológicas foram encontrados decorações onde se notam figurações da imagem humana. 
As antas eram pedras colocadas na vertical, podendo ser considerados como elementos que indicavam espaços considerados importantes ou sagrados por estes povos. Também junto deles se faziam cerimónias de adoração da Natureza e de contemplação dos astros. 

Ainda de referir os cromeleques, círculos de pedras que serviam como relógios solares, pois estão organizados entre os espaços maiores e menores entre o nascer do Sol ao longo do ano. Eles comprovam que estas comunidades já conheciam a mudança das estações.

Sem comentários:

Enviar um comentário