quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

A civilização muçulmana na P. Ibérica

"Contam alguns historiadores que o primeiro que reuniu os fugitivos cristãos da Hispânia, depois dos árabes se terem apoderado dela, foi um infiel chamado Pelágio, natural das Astúrias (...), de onde então começaram os cristãos a defender contra os Muçulmanos as terras que ainda continuavam em seu poder (...)." (1)

A Arábia no século VII era uma região com um grande atividade comercial. Das principais cidades do Sudoeste da Arábia, uma das mais importantes foi Meca. Foi aqui que nasceu uma nova religião, fundada por Maomé, O Islamismo. Maomé proclamou um novo Deus, Alá e difundiu os valores da nova religião, num livro sagrado chamado o Alcorão.

Após a unificação das diferentes tribos na Arábia, o desejo de melhorar as condições de vida no deserto, e a vontade de espalhar a nova religião fez iniciar uma expansão islâmica que chegou a três continentes, Ásia, África e Europa. Os Muçulmanos chegaram à Península Ibérica no século VIII. A norte, as Astúrias resistiram e foram o ponto de resistência dos visigodos para a futura reconquista cristã. Os Muçulmanos deram à Península Ibérica o nome, sobretudo às zonas que mais influenciaram, o sul de Al-Andaluz.

Os muçulmanos manifestaram dificuldades em manter um domínio da Península a partir sobretudo do século XII. Permaneceram na Península Ibérica na parte mais ocidental até ao século XIII, e na parte central e este da Península Ibérica até ao século XV. Destas duas zonas nasceriam dois países, Portugal e Espanha. Tiveram tal como a civilização romana uma profunda influência no modo de vida dos povos peninsulares.


(1) - Relato de Nafh al-Tib, citado por Borges Coelho, Portugal na Espanha Árabe.

Sem comentários:

Enviar um comentário