quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

A herança muçulmana na P. Ibérica

"Os Árabes reforçaram o tom mediterrânico que os Romanos haviam começado a imprimir à agricultura. Introduziram ou difundiram plantas: a alfarrobeira, o limoeiro, a laranjeira azeda e talvez o arroz; plantaram grandes pomares, sendo afamados os do Algarve e dos arredores de Évora (...); e, sobretudo, desenvolveram a técnica do regadio (...) com as suas noras e canais de rega (...).
Esta influência sobrevive ainda ainda em muitas palavras de língua comum, relativas à vida do campo; (...) [tais palavras] mostram como foi intensa e profunda a ação de um povo que [vindo da orla do deserto] aprendeu  a vencer a escassez de chuvas com a escolha de plantas apropriadas e um engenhoso aproveitamento de águas." (1)
A influência árabe foi sobretudo importante na religião e na língua. Na Península Ibérica houve um convívio harmonioso entre os que aderiram ao Islamismo e os que se mantiveram cristãos, os chamados moçárabes. No Al-Andaluz o árabe era a língua oficial e foi uma forma de dar unidade à sua presença cultural. 

Com os Árabes a Península Ibérica assistiu à introdução de diferentes atividades ligadas à agricultura, ao artesanato e à pesca. Com elas deu-se um excelente aproveitamento da água, com a construção de canais, diques, moinhos de água, azenhas e noras. No artesanato desenvolveram a tapeçaria (algodão e lã), os metais, a pedra e o couro. Desenvolveu-se o comércio e os mercados difundiram-se por diferentes cidades.

O Al-Andaluz desenvolveu sobretudo no Sul uma cultura urbana, com a existência de diferentes cidades. A cidade era protegida por muralhas e tinha um centro, que se chamava a Medina, onde se concentravam os edifícios religiosos, as mesquitas, mas também o mercado e os espaços públicos. O restante espaço da cidade era ocupado com casas para habitação, onde os artesãos dispunham os seus produtos e se dedicavam ao comércio. Junto à medina encontramos o espaço que mantinha uma defesa militar da cidade.

As grandes cidades árabes tinham belos palácios com interiores onde podemos encontrar o azulejo e jardins bem decorados. Era nas mesquitas que as crianças aprendiam a ler e a escrever, utilizando o Alcorão nas suas atividades de aprendizagem. As ciências estavam muito desenvolvidas na civilização Árabe e a sua influência na Matemática (introdução do zero), na Medicina, na Astronomia, na Cartografia, na Geografia,  foi muito importante. A civilização árabe procurou incentivar um ambiente cultural de estudo e de difusão do pensamento literário e religioso. Córdova, era a capital deste espaço na Península que os árabes chamaram Al-Andaluz.


(1) - Orlando Ribeiro, Portugal, O Mediterrâneo e o Atlântico

Sem comentários:

Enviar um comentário